Boletim | Nov. | nº 09/2020

Novembro | nº 09/2020

Editorial

Recentemente vimos o grande problema que aconteceu no Amapá, quando a cidade ficou vários dias sem energia elétrica. Se o Estado privilegiasse o uso do aquecedor solar para aquecimento de água, pelo menos o banho quente teria sido garantido.

O uso do aquecedor solar de água, em habitações sociais, por exemplo, ajuda a natureza, reduz o consumo de energia e garante conforto aos moradores. Um exemplo disso são as casas do programa Minha Casa Minha Vida, construídas nas cidades de Macaúba e Ibotirama.

Mas também não basta defender apenas a implantação dos sistemas. Para que o setor se fortaleça precisamos ressaltar e investir na qualidade dos equipamentos, e para tanto, precisamos de laboratórios confiáveis, com tecnologia e que atendam as exigências do Inmetro, como é o caso do GREEN PUC Minas.

Todos esses cuidados e preocupações tem norteado o trabalho da ABRASOL, que vem intensificando o contato com os diversos níveis de governo, sempre no sentido de mostrar os benefícios ambientais do uso do aquecedor solar, bem como pleitear políticas públicas que fortaleçam a cadeia produtiva.

O ano de 2020 não foi fácil para nenhum setor ou empresa. Fomos obrigados a nos reinventar para sobreviver. Enfrentamos aumento de preço dos insumos, queda nas vendas, paralisação da economia. No entanto, ao longo desses últimos nove meses, estivemos unidos em torno da nossa Associação e isso certamente contribuiu para que passássemos por todos os obstáculos.

Como presidente, agradeço o apoio e afirmo que muito ainda há para fazer, mas juntos será sempre mais fácil. Meu muito obrigado, desejo a todos um Feliz Natal com muita harmonia e paz junto a seus familiares e que 2021 seja um ano de Saúde e Prosperidade.

Vamos em frente!

Por: Oscar de Mattos

Presidente

AVANÇOS TECNOLÓGICOS GARANTEM EQUIPAMENTOS MAIS CONFIÁVEIS

Um dos pilares defendidos pela ABRASOL é a questão da qualidade. Para a diretoria da Associação, produtos conformes são fundamentais para garantir a eficiência da tecnologia e com isso fortalecer a disseminação do uso do aquecedor solar.

Daniel Sena Braga - Responsável Técnico pelo laboratório GREEN PUC Minas

Para garantir a eficiência desses equipamentos, o mercado conta com a ajuda de laboratórios especializados, que atendem às exigências normativas. “Os ensaios realizados pelo laboratório avaliam e garantem que os equipamentos comercializados no país atendem critérios estabelecidos pelo Inmetro. Essa normalização proporcionou para o consumidor a segurança de comprar um produto de ótima qualidade, o que garante uma alta confiabilidade do sistema. Em virtude desta confiabilidade, o aquecedor solar de água proporciona conforto e economia para o usuário mesmo em situações extremas como no caso do apagão ocorrido no Amapá, visto que o sistema não depende da disponibilidade de energia elétrica”, comenta Daniel Sena Braga, Responsável Técnico pelo laboratório GREEN PUC Minas.

Ele alerta que é importante para o mercado que os equipamentos comercializados no Brasil apresentem requisitos mínimos de segurança e desempenho, o que vai de encontro com as crescentes exigências para a segurança do consumidor e para o meio ambiente.

O Laboratório GREEN é um centro de excelência em energia solar que representa a visão estratégica da PUC Minas sobre a importância da energia renovável para a sociedade. Atua, há 23 anos, como referência nacional na área de ensino e pesquisa (graduação e pós-graduação) e na área de extensão realizando ensaios de certificação de equipamentos solares e calibração de piranômetros.

Acreditado pela Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro pela norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2017 para realização de ensaios de certificação de equipamentos de aquecimento solar de água ele também é designado pelo Inmetro para a realização de ensaios em equipamentos para energia solar fotovoltaica.

Daniel Braga reforça que em 2012, o Inmetro aprovou a revisão dos Requisitos de Avaliação da Conformidade para os equipamentos de aquecimento solar de água, atualizando as faixas de eficiência energética dos equipamentos. Para atender o nível de exigência mais elevado, as empresas investiram na melhoria dos seus processos de fabricação e na escolha categórica de materiais que resultaram em produtos mais eficientes. “Nos últimos anos, notamos que a evolução da qualidade dos equipamentos foi enorme!”.

O GREEN PUC Minas destaca-se ainda pela realização de estudos e projetos que contribuem para o desenvolvimento científico e tecnológico dos sistemas solares em parceria com fabricantes, além de atuar como suporte para projetos de iniciação científica, mestrado e doutorado na área de energia solar. O laboratório possui ainda uma estação meteorológica que conta com piranômetros, pluviômetros, sensores de umidade, temperatura ambiente e velocidade e direção do vento.  O laboratório tem uma infraestrutura  composta por laboratórios para realização de ensaios mecânicos, térmicos e elétricos, além de uma área externa onde são realizados ensaios em equipamentos solares.

Conta ainda com um Simulador Solar e sistema de aquisição de dados que simula as diversas condições de radiação solar e permite de forma eficaz avaliar a eficiência de equipamentos. “Além de avaliar a eficiência energética dos equipamentos, avaliamos a existência de danos que resultem em uma redução da eficiência ou vida útil, como a existência de vazamentos, fissuras, deformações ou distorções de componentes, garantindo que os equipamentos atendam aos requisitos de qualidade essenciais”, finaliza Braga.

A IMPORTÂNCIA DO AQUECEDOR SOLAR EM HABITAÇÃO SOCIAL

O uso do aquecimento solar em habitações de interesse social não é mais uma novidade. Diante dos elevados custos com a energia elétrica, e do percentual significativo do consumo de chuveiros elétricos, os programas de habitação social se renderam à eficiência e economia dos sistemas solares térmicos para aquecimento de água.

Por todo o país cresce o número de moradores que utilizam o aquecimento solar de água, mas ainda existe muito espaço para a implantação da tecnologia. O Brasil é privilegiado por apresentar excelente radiação solar em todo o território, com aproximadamente 280 dias de sol por ano, tornando a utilização do sistema de aquecimento solar de água ainda mais viável.

Atenta aos benefícios da tecnologia e aos incentivos do governo para esse tipo de obra, uma empresa associada à ABRASOL, implementou o sistema de aquecimento solar de água em dois empreendimentos, um em Macaúba e outro em Ibotirama, ambos na Bahia. No primeiro foram 209 casas, enquanto no segundo foram mais 150 moradias.

Nos dois casos foi utilizado um sistema acoplado de 200 litros, composto por coletor solar de 1,43 m², que atende perfeitamente às necessidades do Programa Minha Casa, Minha Vida, de habitação social. Vale ressaltar que recentemente o governo alterou o Programa para o Casa Verde e Amarela, através do qual o uso do aquecedor solar de água também pode ser destinado em caso de novas habitações e  reformas.

ABRASOL PROMOVE ASSEMBLEIA COM ASSOCIADOS SOBRE AÇÕES PRATICADAS EM 2020 E METAS PARA 2021

No dia 12 de novembro, a Abrasol (Associação Brasileira de Energia Solar Térmica) promoveu uma assembleia online com seus associados, e relatou as ações praticadas ao longo deste ano, além de traçar as metas para o ano vindouro.

O presidente da associação, Oscar de Mattos, abriu informando que o tripé das ações mais importantes da ABRASOL para 2020, são: Certificasol, Manual de Boas Práticas e Comunicação.

Dentre os destaques citados no evento, está a Portaria INMETRO 258 de 06 de agosto de 2020, que dispõe sobre  os critérios e procedimentos para o registro de produtos, insumos e serviços que façam parte do escopo regulatório do Inmetro, determinando que as suspensões ou cancelamentos de registros, somente poderão  ser aplicados pelo órgão regulador mediante instauração de processo administrativo.

Outro ponto de destaque foram as interfaces com Governo Federal, Estadual e Municipal e a importância da abertura de possibilidades de trabalhos conjuntos com ANAMACO, Sindinstalação e Abesco,

Ao final da reunião, definiram-se, junto ao corpo diretivo da Abrasol, entre outras as seguintes metas para o ano de 2021, que fazem parte do planejamento estratégico 2020/2021:

  • Contratação de uma ferramenta de divulgações de licitações publica através da Abrasol;
  • Mapeamento e contrato com as distribuidores de energia elétrica para o desenvolvimento e oportunidade de novas parcerias;
  • Desenvolvimento de novos programas de pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica;
  • Desenvolvimento de novos convênios e benefícios para os associados;
  • Harmonização dos procedimentos dos laboratórios de ensaios;
  • Interlaboratorial

REUNIÃO COM MINISTÉRIO DISCUTE PROGRAMA CASA VERDE E AMARELA

No dia 13 de novembro, a ABRASOL reuniu-se, virtualmente, com a Coordenadora-Geral de Regularização Fundiária do Ministério do Desenvolvimento Regional, Mirna Quinderé, para discutir sobre a proposta de implementar o uso de kits de aquecedor solar no Programa Casa Verde e Amarela, do Governo Federal.

De acordo com a proposta apresentada pela entidade, enviada ao Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, o valor de cada kit engloba os custos do equipamento, da instalação e do frete, e estão disponíveis nas potências de 120kWh.mês, 150kWh.mês, 165kWh.mês e 180kWh.mês.

Oscar de Mattos, presidente da Associação, ressaltou a importância da implementação do aquecimento solar de água como forma de economia de renda mensal das famílias, especialmente as de menor renda, onde o custo da energia elétrica é bastante representativo.

Além disso Mattos também destacou outros benefícios promovidos pelo uso do aquecimento solar da água, como: preservação ambiental, geração de empregos, diversificação da matriz energética, com destaque para o horário de ponta do Sistema elétrico brasileiro, onde o chuveiro elétrico representa aproximadamente 25% do consumo das residências brasileiras.

UNIÃO EM PROL DO DESENVOLVIMENTO SETORIAL

“O horizonte é vasto, mas muito promissor e temos a plena convicção de que estamos trilhando um caminho de muito trabalho, e também de diversas conquistas”. A frase é da Diretora Executiva da ABRASOL, Danielle Johann. Além de cuidar da gestão da Associação, ela é especialista no setor, com mestrado e doutorado na área de energia.

Convicta do espaço que o setor tem a conquistar, Danielle faz questão de reforçar a longevidade da tecnologia, presente há mais de 40 anos no Brasil, e a constante preocupação com o desenvolvimento de sistemas cada vez mais modernos e eficientes. “A ABRASOL representa a cadeia produtiva do setor em todo o território nacional, incluindo fabricantes, revendedores, projetistas, instaladores, consultorias, e os demais agentes da cadeia produtiva”, ressalta.

Na condução dos aspectos administrativos e técnicos da entidade, ela afirma que os dois objetivos principais da associação são: aumento do mercado e aumento da base de associados. Esses objetivos abrangem todos os agentes que possam impactar para que essas metas sejam alcançadas e, com isso fazer com que a Energia Solar Térmica seja difundida e utilizada no País todo.

Ela lembra que é importante salientar que a entidade precisa de uma base de associados forte e unida, com engajamento e que permita aumentar a propagação da tecnologia, demonstrando todas as suas vantagens, como produção de energia ambientalmente correta, redução da emissão de gases de efeito estufa na atmosfera, diversificação da matriz energética brasileira, sem contar com a retirada da energia no Sistema Elétrico Brasileiro, especialmente no horário de ponta, o que poderia inclusive adiar investimentos nas linhas de transmissão e distribuição de energia elétrica.

Para alcançar esses objetivos, a ABRASOL vem aumentando as interfaces políticas em todas as esferas: Governo Federal, Estadual e Municipal, tendo entre os resultados de maior destaque a reabertura das revendas durante a fase crítica da pandemia; o reforço das ações de Marketing, com o próprio ABRASOL INFORMA, assim como a presença ativa nas mídias sociais, desenvolvimento de um novo site.

“O mercado vem crescendo ano a ano e apesar, da pandemia provocada pelo novo coronavírus (COVID 19), a expectativa é de termos um crescimento de 6 a 10% em 2020. Isso demonstra a importância da ABRASOL na defesa dos interesses de nossos associados, e também projeta que as sementes plantadas este ano frutifiquem, principalmente diante do lançamento do Manual de Boas Práticas, da plataforma do Certificasol (programa EAD de capacitação e certificação de instaladores e outros profissionais), do desenvolvimento de novas parcerias para beneficiar os associados e em novos projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Tecnológica.”

Por: Danielle Johann

Diretora Executiva